A Cor do Cairo

Por muito tempo pensei em como contaria a minha experiência no Egito e sobre como eu poderia exprimir tudo aquilo que senti quando conheci o Cairo.

A escolha das palavras é sempre algo difícil pois tudo o que eu possa dizer será sempre pequeno, limitado e até injusto em relação à grandeza histórica; à imensidão artística e à beleza natural e humana que encontrei no país dos Faraós.

A soma de todos os sentimentos, de todos os cheiros e de todas as imagens registradas me obriga a perpetuar minhas lembranças, como uma forma de homenagear aquele lugar em que passei alguns dos melhores dias de minha vida.

E com o título “A Cor do Cairo”, começo a contar sobre os dias vividos e sobre o que foi agregado em meu ser a partir de então.

EGITO – HORA DA DECISÃO

Quando decidi ir para o Egito foi como se estivesse, finalmente, realizando um dos meus sonhos impossíveis da adolescência. Esta sensação de conquista ‘incendiou’ a minha alma viajante de uma maneira que me fez relembrar a empolgação daquela época.

Para mim, ir para o Egito não era só visitar um novo um destino, ou carimbar mais um país no passaporte. Não era somente constatar as maravilhas historicas e o tamanho das piramides. Ir para a terra dos Faraós, para mim, era como galgar um novo patamar na trajetoria da Silvia Viajante.

Finalmente eu iria conhecer um país da Africa – o continente berço da humanidade. Veria o Egito – a terra dos Faraós!!!!! Tudo isto estava a meu alcance e eu não poderia deixar de ir.

Esta viagem, diferentemente das anteriores, nao me exigiu planejamento de roteiro ou escolha de hoteis e companhias aéreas. Eu viajei com minha nora e meu filho que organizaram tudo perfeitamente. E, como o sucesso de uma viagem começa de um bom planejamento, posso dizer que eles foram espetaculares neste trabalho prévio.

A viagem escolhida por eles abrangeu o Egito e a Italia, com uma esticada à França e Mônaco.

Ficamos 12 dias no Egito e 10 dias na Europa.

DIA 1 – Cairo – a primeira impressão

A chegada ao Cairo foi emocionante.

A primeira visão das piramides da janela da aeronave já anunciava que todo o sonho estava se concretizando.

Cairo do avião.

A cor do deserto ia se misturando à cor de Guizé e suas pirâmides e depois à cor dos edifício e das casas e seus jardins empoeirados. Tudo estava no mesmo tom. Apenas a cor escura do Rio Nilo cortava o cinza rosado que tanto caracterizava Cairo.

Mal sabia eu que a Cor do Cairo nunca mais sairia da minha lembrança.

A chegada ao aeroporto e a entrada na imigração transcorreu na mais perfeita ordem. Optamos por contratar a Memphis para a compra do visto no momento de nossa chegada no Egito. O agente da Memphis Tours, o Mohamed, que nos recepcionou cuidou de tudo. Muita gentileza e competência demonstrados já na chegada.

A expectativa por sair do aeroporto e olhar para a tão lendária capital egípcia era imensa.

O calor de 36 graus era nosso conhecido. Além do mais, já sabiamos que enfrentariamos o verão egípcio com máximas de até 42 graus centígrados.

Em uma van partimos para o hotel Le Meridien Pyramids especialmente escolhido por sua localização privilegiada junto às pirâmides de Guizé. Escolhemos quartos com vistas para a última das maravilhas da antiguidade – As Pirâmides de Guizé. Afinal, não é todos os dias que se tem este privilégio.

O trajeto aeroporto/hotel levou uns 40 minutos. Trânsito intenso e caótico, muita buzina, carros, em sua maioria, amassados, motos com 3 pessoas (todas sem capacetes), vias sem faixas de rolagem…tudo aquilo era assustadoramente incrível e engraçado para mim.

Cairo – foto autoral

Impossivel não admirar, também, a uniformidade de cor dos edifícios do Cairo.

De uma cor cinza rosado, os prédios ao longo de nosso caminho integravam, visualmente, um conjunto único de moradias e escritórios. As cores da cidade pouco variam. O Cairo é uma cidade de cor única que, vista de longe, se iguala às areias do deserto ao redor.

Ruas do Cairo, foto autoral

Inusitada, também, é a variedade de acabamentos externos dos apartamentos e das fachadas dos edifícios.

Os prédios são entregues sem esquadrias, somente o vão das janelas e das varandas. Cada proprietário instala o fechamento que bem entender. Tipos, formatos e cores de janelas diferentes em uma mesma fachada. Loucura!

As varandas, além de não seguirem um padrão de acabamento, competiam em diferentes cores e proteção. Muitas eram isoladas por cortinas ou coloridos tapetes pendurados.

A cor do Cairo é única, exótica e quente.

Eu via as pessoas em seus trajes cotidianos, ou religiosos, transitando pelas ruas e calçadas, em meio a camelos surrados, e isso tudo me deixava mais e mais entusiasmada por tudo aquilo.

Ao passo que eu percorria a cidade dos mil minaretes – o Cairo, sentia-me penetrando o misterioso mundo árabe e suas características ímpares.

A curiosidade por entender tudo aquilo só aumentava.

Cairo – Piscina com vista para as Pirâmides -não tem preço

Devidamente instalados e maravilhados com a vista para Quéops e Quéfren que nossos quartos possuíam, logo tratamos de “inaugurar” nosso tour pelo hotel com um mergulho naquela piscina excepcional.

Le Meridien Pyramids Hotel. Foto autoral.

Emoção à flor da pele, aquelas águas mais do que nos refrescavam, batizava-nos sob o céu egípcio nos preparando para os dias árabes que iríamos viver.

Cairo – Show de Luzes e Som das Pirâmides

Em nossa primeira noite no Cairo, assistimos ao Show de Luzes e Som que acontece diariamente no platô de Guizé.

Assim que o sol se pōe e o céu do Cairo escurece, este show de som e luzes traz o antigo Egito de volta à vida àqueles que se sentam à frente daquele grandioso complexo.

Guizé ao anoitecer. Foto Autoral

Milhares de anos se passaram desde que os Faraós estiveram na Terra, mas com nossa imaginação e este espetáculo podemos reviver a história sobre o início das pirâmides e sobre a milenar vida de reis e rainhas.

A experiência foi inédita e agradável para a finalização de nosso primeiro dia no Cairo. A estrutura do espetáculo é ampla e boa. Cabe, entretanto, uma melhoria  quanto à qualidade do som e intensidade das luzes pois o ambiente é bem amplo.

Show de Luzes em Guizé. Foto autoral.

Show de Luzes em Guizé. Foto autoral.

Gostei da experiência que serviu como pequena introdução histórica ao mundo que iríamos adentrar.

Após o espetáculo introdutório ao mundo egípcio, jantamos nos arredores de Guizé onde degustamos legítimas iguarias árabes.

Nossa aventura estava só começando.

No dia seguinte partiríamos em um voo para Luxor em continuidade a nossa expedição pelas terras dos Faraós.

Quando viajei: Agosto de 2017 Com quem viajei: Minha nora e meu filho